1

Temos em Arquivo

Projeto “POR UMA GOTA” promove uso eficiente da água no Nordeste Transmontano

A AEPGA – Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino e a Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural lançaram, no âmbito do Dia Nacional da Água, 1 de outubro, o projeto “POR UMA GOTA – Pelo uso eficiente da água” (www.porumagota.pt | www.facebook.com/projetoporumagota ), que visa promover a sensibilização ativa da comunidade rural no Nordeste Transmontano para o uso eficiente deste recurso hídrico vital.

rojeto “POR UMA GOTA” promove uso eficiente da água no Nordeste Transmontano
O projeto POR UMA GOTA é financiado pelo Fundo Ambiental – Ministério do Ambiente, segue as recomendações do Programa Nacional Para o Uso Eficiente da Água (PNUEA) e tem como objetivo geral desenvolver um programa de educação ambiental que promova o uso e a gestão eficiente da água no Nordeste Transmontano, uma região do país altamente vulnerável aos fenómenos meteorológicos extremos, nomeadamente à seca, e que está também ameaçada pela desertificação.

A água é um recurso natural estratégico para a região de Trás-os-Montes, do qual dependem fortemente os setores produtivos, especialmente o setor primário (agricultura e pecuária), a população, os ecossistemas, a fauna e a flora.

As previsões de especialistas nacionais e internacionais apontam para que as alterações climáticas em curso afetem de forma significativa o território nacional, principalmente as zonas do interior, com graves consequências sobre os recursos hídricos.

De acordo com os peritos, nomeadamente com um estudo coordenado pelo investigador Filipe Duarte Santos e publicado no livro “Climate Change in Portugal: Scenarios, Impacts and Adaptation Mesures”, de 2002, que avaliou os principais impactos das mudanças climáticas em Portugal para os próximos 100 anos, as consequências dessas alterações já estão a ser registadas e vão agravar-se nas próximas décadas.

O aumento da temperatura e dos fenómenos extremos como a ocorrência de cheias, secas e tempestades com intensificação dos ventos, a redução da precipitação média anual, com períodos de chuva mais intensa e concentrada no inverno e o aumento da frequência e intensidade das ondas de calor no verão são exemplos de alterações que já estão a ocorrer no país.

No que se refere aos recursos hídricos, haverá, consequentemente, uma menor quantidade de água disponível, uma pior qualidade das águas fluviais e os nossos rios internacionais, nomeadamente o Rio Douro, estarão mais condicionados, visto que as autoridades espanholas poderão, por exemplo, reter mais água, afetando o seu fornecimento a Portugal.

Na área da agricultura e das florestas, as alterações climáticas poderão ditar a alteração dos tipos de culturas plantadas devido à escassez de água para irrigação, bem como obrigar à readaptação a novos períodos de cultivo.

Poderá registar-se também um aumento de pragas, doenças e infestantes, tanto na floresta como na agricultura. O flagelo dos incêndios também irá aumentar, segundo as previsões, havendo ainda uma redução da produtividade florestal e uma diminuição da biodiversidade.

As previsões sobre o impacto que as alterações climáticas terão no território nacional, sobretudo no que se refere aos recursos hídricos, e as consequências que já se fazem sentir no país, principalmente nas zonas do interior, com a ocorrência cada vez mais frequente de situações de seca, mostram, desta forma, que avançar com medidas que promovam a sensibilização da comunidade para o uso e a gestão eficiente da água é não só uma necessidade estratégica, como um imperativo ambiental.

O Nordeste Transmontano é uma zona do país eminentemente rural, florestal e agrícola e, sendo o setor agrícola o que mais água gasta e desperdiça em Portugal, é fundamental assegurar a eficiência hídrica nesta região, não só na agricultura, como também no meio doméstico e no setor industrial.

O projeto visa, desta forma, promover uma nova cultura de utilização da água, a qual está em constante risco de esgotamento devido ao seu uso ineficiente, ao desperdício e às alterações climáticas.

No âmbito deste projeto, as duas associações vão desenvolver diversos materiais didáticos e informativos sobre o uso eficiente da água no meio agrícola, doméstico e industrial; organizar sessões de sensibilização nas escolas da região; promover um concurso de ideias sobre o uso eficiente da água numa exploração agrícola direcionado a jovens estudantes, bem como capacitar os agentes agrícolas para o uso e a gestão eficiente deste recurso hídrico, entre outras atividades. O projeto culminará numa sessão de encerramento pública em diferentes concelhos do Nordeste Transmontano.

Projeto “POR UMA GOTA” promove uso eficiente da água no Nordeste Transmontano Reviewed by Notícias do Nordeste on quinta-feira, outubro 11, 2018 Rating: 5

Sem comentários:

O Notícias do Nordeste informa que os comentários são sempre da exclusiva responsabilidade dos seus autores, mesmo quando feitos sob a forma de anonimato. Este é um espaço público e de partilha de ideias e opiniões. Identifique-se com o seu nome verdadeiro, mas não forneça os seus dados pessoais como telefone ou morada, e por favor não utilize linguagem imprópria para veicular a sua opinião. Obrigado!
Informa-se ainda que todos os comentários ofensivos feitos sob a forma de anonimato serão removidos pelos gestores do site.

Noticias do Nordeste © 2005 - 2018 | Registo ERC:125301
Periodicidade: Diário | Diretor: Luis Pereira | Ficha Técnica|Estatuto Editorial

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Com tecnologia do Blogger.